terça-feira, 25 de abril de 2017

Da Língua Do Quilombo Ao Samba Carioca * Marta Avancini - SP

Da Língua Do Quilombo Ao Samba Carioca
Muito mais do que....
"eu sou o samba"
http://www.cruesp.sp.gov.br/?p=11721 
***

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Que Tal Um Rolezinho....* Antonio Cabral Filho - RJ

Que Tal Um Rolezinho Pela Cultura Negra Na Biblioteca?
ACESSE
http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/manifestacoes-2/o-rolezinho-que-os-descolados-nao-dao/ 
*

terça-feira, 26 de julho de 2016

Memorial Da Mulher Negra * Antonio Cabral Filho - RJ

Memorial Da Mulher Negra
Antonio Cabral Filho - RJ
1 - Mural Memórias Das Mulheres Negras
http://www.pacs.org.br/files/2014/11/Mural-Mem%C3%B3ria-das-Mulheres-Negras.pdf 
&
2 - Heroínas Negras Esquecidas
http://radios.ebc.com.br/planeta-lilas/edicao/2014-12/projeto-recupera-na-historia-heroinas-negras-que-ha-muito-foram 
&
3 - Belezas De Kianda
https://belezasdekianda.wordpress.com/ 
&
4 - Marcha Da Mulher Negra
http://mulheresemluta.blogspot.com.br/2014/07/25-de-julho-dia-latino-americano-e.html 
***

sábado, 9 de julho de 2016

Antonieta De Barros / Primeira Deputada Negra Brasileira * Antonio Cabral Filho - Rj

Antonieta De Barros
A primeira deputada negra brasileira
*
Referências
Global Voices
https://pt.globalvoices.org/2015/12/14/voce-conhece-a-historia-da-primeira-deputada-negra-do-brasil/ 
&
Nos Passos De Antonieta
http://www.pmf.sc.gov.br/arquivos/arquivos/pdf/13_02_2012_11.01.11.6dcf92bc3d675d078e59e92a2ea922fe.pdf 
*

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Tia Ciata e o Samba Via Hilário "Lalau de Ouro" * Antonio Cabral Filho - RJ

( Samba - Di Cavalcanti, destruído em incêndio)
*
TIA CIATA E O SAMBA 
VIA HILÁRIO LALAU DE OURO

HILÁRIO JOVINO FERREIRA" LALU DE OURO", 
nasceu em pernambuco, criou-se em Salvador e chegou adulto ao Rio de Janeiro em 1872, quatro anos antes de Tia Ciata. Era músico, compositor, capoeirista e membro da Guarda Nacional; liderança cultural  e incentivador de atividades negras, introduziu diversas transformações na concepção do carnaval de então, com elementos das culturas baiana e pernambucana, a partir da fundação do Rancho Rei de Ouro, no dia 06 de janeiro de 1893, em companhia de Luis de França, Avelino Pedro de Alcântara, João Câncio Vieira, graças a um encontro casual no botequim do Paraíso, Rua Larga de São Joaquim - atual Rua Marechal Floriano. Dali seguiram para sua residência, no Beco João Inácio, nº 17 - Bairro da Saúde, atrás da Central do Brasil, onde às tantas da noite, após um "chá...dançante", Hilário parou tudo e apresentou o esboço do seu rancho, na presença de muito mais gente convidada, como Cleto Ribeiro, Gracinda e Noela, duas baianas influentes.No dia 7 de janeiro, foi integrado à equipe como Diretor de Canto o João da Macotinha, e começaram-se os ensaios. 
Urge ressaltar que Hilário exercia uma forte liderança na região compreendida entre o atual Santo Cristo e o Porto, tanto por morar no local e trabalhar no arsenal de Marinha, como por promover samba e carnaval nesse ambiente, tanto assim que ele cita como exemplo o chamado "carnaval pequeno", segundo suas palavras, constituído de "cordões de velhos, pelos Zé-Pereiras e pelos dois cucumbis da Rua João Caetano e o da Rua do Hospício ( atual Rua Buenos Aires)". Portanto, já existiam ranchos carnavalescos no Rio de Janeiro, embora valha a pena ressaltar que se tratava de um "modus operandi" espontâneo. Suas palavras registram isso em declaração ao jornalista "Vagalume - Francisco Guimarães": "O Rei de Ouro, meu VAGALUME, quando se apresentou com perfeita organização de rancho, foi um sucesso! Nunca se tinha visto aquilo, aqui no Rio: porta-bandeira, porta-machado, batedores etc." Isso é que marca a diferenciação em relação aos outros ranchos. Mas em termos de modo de desfilar, são iguais e seguem o estilo Folia de Reis, que é indo de casa em casa, começando sempre pelos padrinhos-madrinhas do agrupamento; daí a citação da Lapinha. Ao ser interrogado por Vagalume se continuou apenas com o Rei de Ouro, eis sua resposta: " Qual! ... assim é que no ano seguinte ( 1894) fundei a Rosa Branca..." e segue citando um conjunto de ranchos nos quais teve participação, ainda que como co-fundador. Outra citação mais adiante revela sua participação numa reunião em 1904 no "Consulado Pernambucano", Engenho de Dentro, colaborando na fundação de ranchos com bases no Maracatu, além de outros, frisando que o carnaval carioca ficou em "estado estacionário" até 1906. "1906?", pergunta Vagalume; "Sim, quando foi fundado o AMENO RESEDÁ!"

A declaração do Hilário acima de que "fundou o Rosa Branca" não oferece precisão uma vez que o ROSA BRANCA viria a ser criado mais adiante. Paralelo às suas atividades,  TIA CIATA corria em faixa própria e se transformou numa espécie de liderança quase que natural, graças à repressão política, o que fez aumentar a afluência de artistas e líderes negros à sua casa, todos ligados a uma nova expressão da cultura negra, denominada SAMBA. Sua inclinação instintiva para esse novo tipo de música, levou ainda à criação do primeiro Rancho de Samba do Brasil; observe que se trata de SAMBA, não de marchinas carnavalescas ou paródias ironizando alguma personagem, mas sim SAMBA,  em companhia de Tia Bebiana, Mestre Germano, Tia Bambina, do próprio Hilário-Lalu de Ouro, João da Mata, Minan, Didi da Gracinda, João Câncio, Carminha, João da Baiana, Sinhô, Donga, Heitor dos Prazeres, Pixinguinha etc, denominado Rosa Branca, que encantou as ruas do Rio de Janeiro na primeira década do Século XX,  iniciativa essa que coloca Tia Ciata na História do Samba e do Carnaval, brasileiros e cariocas, em 1907. Confira:  

 " Com o tempo, os ranchos ganharam as praças da Zona Sul do Rio de Janeiro, principalmente Botafogo, Gávea, Laranjeiras e Catete. O Rancho Rosa Branca foi criado em 1907, tendo à sua frente Hilário, Tia Ciata, Tia Bibiana e Mestre Germano. Como eram pioneiros tinham, inclusive, autoridade reconhecida pelas demais agremiações para inspecionar os trabalhos de todos os ranchos, comunicando pela imprensa o cumprimento das exigências para que os ranchos desfilassem. Tia Ciata e Hilário tinham uma estreita ligação. Nasceram no mesmo dia e se tratavam nas rodas de sambas como "Xará", já que tia Ciata se chamava Hilária. Hilário baiano foi para o Rio de Janeiro em 1872, quatro anos antes de tia Ciata. E por isso já estava mais acostumado com a cidade.  Eram líderes natos entre os negros da época. Ciata com espírito agregador, familiar e religioso; Hilário ou Lalau de Ouro era sensual, feiticeiro e polêmico. ( in http://www.clubedosamba.com.br/index.asp?url=noticia&id=217 ) " 

*

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Carnaval: Cultura Paixão Pesquisa * Antonio Cabral Filho - RJ

Carnaval:
Cultura Paixão Pesquisa
Alguns links para os amigos
1 - Biblioteca Nacional
https://wordpress.com/read/post/feed/834305/921111316 
*
2 - Instituto Imersão Latina
2.1 - http://imersaolatina.blogspot.com.br/2016/02/especial-historia-do-carnaval-carioca.html 
2.2 - http://imersaolatina.blogspot.com.br/2016/02/especial-o-carnaval-carioca-parte-ii.html 
2.3 - http://imersaolatina.blogspot.com.br/2016/02/especial-o-carnaval-carioca-parte-iii.html 
2.4 - http://imersaolatina.blogspot.com.br/2016/02/especial-o-carnaval-carioca-parte-iv.html 
2.5 - http://imersaolatina.blogspot.com.br/2016/02/especial-o-carnaval-carioca-parte-v.html 
2.6 - http://imersaolatina.blogspot.com.br/2016/02/outros-carnavais.html
*
3 - Literatura / Rio de Janeiro
http://literaturaeriodejaneiro.blogspot.com.br/2016/02/carnaval-carioca-de-1929-segundo-manuel.html 
*

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016